E se a idéia pega?

Num recente podcast da Ad Age, de 9 de setembro, muitos publicitários sentiram um frio na espinha. O autor do livro Media Rules!, Brian Reich, sugeriu que já que as redes de TV conhecem seu público como ninguém, afinal são elas que colocam e tiram os programas do ar, nada mais lógico que comecem a criar e produzir os comerciais que vão conversar com o consumidor. Direto  e sem o intérprete que é a agência. Reich diz que com isso tanto os consumidores quando os anunciantes sairiam ganhando.
É óbvio que logo a polêmica estará batendo aqui no Brasil também. E também é óbvio que Reich não está se referindo aos tristes “informerciais” que pintam aqui na telinha. Defendendo nosso peixe, podemos dizer que a agência tem mais capacidade de lidar com todo o marketing do cliente. Marketing que envolve, também, os comerciais de TV. Mas, o que pode ajudar a polêmica a ganhar corpo, é o impacto que as redes de TV estão sentido de novidades como o Youtube e Tivo. Assim, elas passarem a criar o que os anunciantes precisam, vendendo o pacote completo, pode ajudá-las a contornar as turbulência que vem por aí. Nostradamus que se cuide.

Anúncios
    • André Damasco
    • 13 de setembro de 2008

    É Diego.
    Tempos de mudança, e cada vez mais rapidas.
    particularmente, o nosso modelo de agência praticado, já está ultrapassado, e se continuar assim, a coisa vai fica feia.

    Tá na hora de mudanças.
    A TV Digital tá ai, a Internet tá ai, os Celulares estão ai.
    E qual agência grande de Floripa fala realmente essa lingua?
    estou querendo contar nos dedos, mas não sei por onde começar….

  1. No trackbacks yet.

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.
%d blogueiros gostam disto: